sábado, 24 de julho de 2010

continuando...





....



Entre lágrimas adormeceu... Dormira um sono agitado, virando-se de um lado para o outro, quando realmente acordara, estava no meio da tarde, levantou-se, deu uma volta pelo apartamento, não tinha fome, não sentia nada, parecia que estava amortecida, enfeitiçada. Pegou o jornal que ainda estava do lado de fora, não se concentrava na leitura. Foi a cozinha, abriu uma garrafa azul e virou o seu líquido cristalino em um copo grande. Virou tudo em um gole só como se fosse água, serviu mais duas vezes o copo com vodka, tomou uma ducha para relaxar, vestiu seu roupão lindamente branco, abriu o armário, pegou a maleta de medicamentos, tirou 3 comprimidos de uma cartela , engoliu-os de uma vez só, deitou-se novamente e adormeceu.
Ela continuou na cama até o dia seguinte, pensando, pensando.. nem para brincar com seu cão ela tinha forças, ele deitava ao seu lado e sentia a sua dor, ficando ali com ela imóvel, dando todo o carinho e apoio incondicional.
Ligou a cafeteira, pegou um cigarro, pegou o jornal, sentou-se na guarda do velho sofá olhando em direção a janela e tentando concentrar-se na leitura e brincar com seu cão, tomando um café quente para aquecer o corpo e a alma. Nisso toca seu celular, um número estranho, mas uma voz que reconheceria em qualquer lugar no mundo, seu ex – vizinho, Fabrício, um homem elegante , tornaram-se grandes amigos, a última vez que se falaram foi antes dele decidir viajar pelo mundo depois do seu divórcio há mais de 1 ano atrás. Resolveu ligar, pois estava na sua cidade onde iria ministrar um curso. Havia feito reservas em seu restaurante favorito e queria muito vê-la porque a amava em segredo ainda muito antes do seu casamento.
Ela pensou, não sabia se iria ou não afinal de contas seu namoro havia acabado há pouco mais de 1 mês e ainda estava muito ferida e ainda o amava muito. Não queria ver ninguém e muito menos sair, estava frágil e só queria ficar quieta no seu canto. Mas como era um grande amigo e precisava desabafar, decidiu aceitar.
Encontraram-se no local combinado, ela deslumbrante com um vestido preto e pérolas no pescoço. Após muitas garrafas de champagnes e muita conversa boa, ela conseguiu se soltar como há dias não se sentia tão leve, tão bem...Sentia-se viva novamente....





continua


           Beijos no coração e na alma....




3 comentários:

  1. Legal, admiro mto quem consegue escrever contos, eu sou uma tragedia! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Jah tentei, mas meu negocio saum os poemas msm, ateh msm narrativas, cronicas, como no meu diario virtual eu acho um lixo qndo releio. rs.
    Obrigado pela forca q deu no blog, realmente, naum foi facil postar tudo akilo na Cela, pq foram pra pessoas q naum aceitaram meu perdaum ainda, eu sei... mas msm assim, foi necessario, isso jah tava me sufokndo entende?
    Qnto ao q comentou sobre o kra, nuss... a vida realmente eh um efeito rebote. Comeco a acreditar nisso.
    Bjos meu anjo, um fds tranquilo pra ti.

    ResponderExcluir
  2. Oi flor!
    Moça do sorriso lindo!
    Nossa, que delícia ler essas palavras.
    Belíssimo!
    Tenha um ótimo fim de semana.
    Bj

    ResponderExcluir

Exclusivo

Exclusivo
Esse é só meu...haushaush

Quem sou eu